27 de abr de 2011

O caminho da vitória: tornar-se um perdedor!

por  Mateus Goethel Cesimbra



Vivemos em tempos onde é bradado em alto e bom som dentro das igrejas: “você é nascido para vencer!”; ou “somos mais do que vencedores!”; e ainda, a mais típica “você é cabeça e não calda!”. A igreja sobrevive apoiando-se em frases dos mais baratos livretos de auto-ajuda, esquecendo-se da Palavra que é fonte de vida. E só para piorar um pouco mais, como se já não bastasse toda essa psicologia de quinta que é apresentada em forma de livros “cristãos”, os espertalhões da fé lançam bíblias de diversos tipos de vitória: financeira, sentimental, do homem bem sucedido e etc. Será que ninguém lançará a bíblia das perdas: do ego, da avareza, da luxuria, da carnalidade, da mentira, do engano, e tantos outros motivos de perca?

O maior exemplo de perda que podemos ver é do próprio Cristo. Ele sendo Deus, veio a esta terra sentir as dores dos homens, e ainda levar sobre si todas as nossas transgressões. Jesus alguma vez reclamou o fato de deixar os céus para vir a terra salvar esta humanidade desumana? NUNCA!

“Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Isaías 53:5”.

Infelizmente hoje o que as pessoas buscam é aquilo que não esta em Deus. Todos querem prosperidade, poder, beleza e fama. Ninguém quer vir a Cristo abrindo mão do materialismo, simplesmente buscando a Ele de forma radical, e deixando que Ele supra as necessidades. Tem gente que se esquece daquele Salmo tão curtinho e conhecido: “O Senhor é o meu Pastor e nada me faltará.” Claro! Para muitos Deus é apenas um objeto, um degrau para alcançar seus mimos íntimos. Deus perdeu o lugar de poderoso, de Pastor e de Senhor, pois ninguém quer abrir mão de nada para que realmente Ele seja o Pastor que guia a vida humana.

Aqueles que são apegados neste mundo pertencem a este mundo, e desta forma serão consumidos com ele. Por mais que o homem esteja dentro de um templo, jejue, ore intensamente, faça caridade e tudo o que há de bom para a igreja e pelo próximo, se em seu coração não houver a total dependência de Deus infelizmente sua vida não está Nele. Lembre-se da passagem em que o jovem rico veio até Cristo.

“E, pondo-se a caminho, correu para ele um homem, o qual se ajoelhou diante dele, e lhe perguntou: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? E Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom senão um, que é Deus. Tu sabes os mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; não defraudarás alguém; honra a teu pai e a tua mãe. Ele, porém, respondendo, lhe disse: Mestre, tudo isso guardei desde a minha mocidade. E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me. Mas ele, pesaroso desta palavra, retirou-se triste; porque possuía muitas propriedades.” Marcos 10:17-22.

Aquele homem conhecia os princípios de uma vida ética diante de Deus, mas infelizmente não foi dependente de Deus o suficiente para abrir mão de suas riquezas. Ele não suportaria perder toda sua fortuna. Coitado! Perdeu a maior riqueza que um homem poderia ter: estar junto a Mestre Jesus.

Desta forma temos agido. Não vejo testemunhos de pessoas que perderam o vício da mentira, perderam o hábito do adultério, perderam a avareza e tantas outras coisas que fazem parte do homem. O que vejo são testemunhos de gente que se alegra em sua avareza: fiquei rico! Deus prosperou minha vida, e tantas outras coisas.

Paulo que foi um homem instruído, para época um homem muito estudado, abriu mão totalmente do seu velho modo de vida. Não digo isso pelo fato do mesmo ter deixado de ser um perseguidor dos cristãos para ser um pregador. Paulo tinha influencia, era conhecido em várias camadas da sociedade da época, e mesmo assim veja o que ele diz:

“Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós. Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão; Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne. Ainda que também podia confiar na carne; se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu: Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu; Segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé.” Filipenses 3:1-9.

O maior problema do homem é que não consegue desligar-se daquilo que o alimenta carnalmente, e assim deixando de lado a vida espiritual com Deus. Paulo abriu mão de tudo na causa da Obra de Cristo, e nunca saiu pregando teologia da prosperidade.

Hoje o que falta para o povo é Bíblia e vergonha na cara. As pessoas não querem Deus, e sim aquilo que possivelmente ele possa dar. Isso também é o que se vê sendo pregado em muitas igrejas, um falso evangelho, o evangelho da barganha.

Não esqueçamos o Cristo quer de nós: “... e vem, toma a cruz, e segue-me.” Sejamos seguidores dos passos de Cristo, e não de mamom! O caminho de nossa vitória esta Nele, e nossa vitória é essa, seguir até o fim guardando em nós a Verdade da Salvação.

Mas nós, que somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação; 1 Tessalonicenses 5:8.

Busquemos a Palavra de vida, e a vida brotará em nós, e nos trará a verdade e a Salvação em Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual a sua opinião sobre este artigo? Comente a vontade!