18 de abr de 2010

O ZELO DA TUA CASA ME DEVORARÁ

Até nas almas mais ternas há sentimentos de repúdio e senso de justiça que se aguçam diante do despropósito da avareza e da capacidade humana de conseguir inebriar de treva até os jardins mais seguros. A historia da igreja sempre se traduziu em um ambiente sacro de obediência a um supremo Cardeal... Pois bem, hoje as igrejas se traduzem pelo o lugar onde Deus habita, onde as pessoas anseiam pela atmosfera do divino, onde suas necessidades podem ser supridas. Em fim, Igreja é um pouco ou muito disto tudo pra alguns; mas será que para Deus equivalem os mesmos conceitos? Será do seu agrado as dissoluções, as mesquinharias, vaidades inflamadas que tanto obscurecem a Igreja que Deus deseja buscar? Será esta à visão de Reino de Deus que agride tanto a essência de uma Adoração cujo maior prazer é fazer Jesus conhecido no meio daqueles que tem sede da água da Vida? Eu tenho sede de justiça!

Não uma justiça de artifícios e sistema humano, mas a vontade ardente que a Casa do Senhor seja feita Casa de Oração e templo de Adoração. Prova disto foi que até mesmo Jesus foi consumido pela falta de respeito e zelo pela casa de Deus: “e tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas, e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas. E disse aos que vendiam pombos, Tirai daqui estes, e não façais da casa de meu Pai casa de vendas. E os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O ZELO DA TUA CASA ME DEVORARÁ... (João 02: 15-17).

Os discípulos lembraram porem muitos se esqueceram e aderiram tais praticas como se pudesse extrair lucro da casa do nosso Pai. Nem Jesus agüentou tal monstruosidade que molesta a alma dos Filhos, pois estes conservam o temor até o fim, coisa esta inconcebível aos lobos tão vorazes. Lobos são astutos, envolventes no andar quieto, mordida mortal.

O zelo que está com quem ama verdadeiramente Devora mesmo!Assim como a verdade devora a mentira, O Amor devora o ódio, a ternura devora a indiferença... Que o azorrague de Jesus devore novamente os ladrões que prostituem o Evangelho. Que a chama que move homens de boa vontade devore estes que teimam a desobedecer os estatutos do Pai. Cabe a cada um de nós nos indignarmos com o comercio tão fora de hora e de contexto como tem sido... Fora os cachês milionários, fora oferendas gospel, fora envelopes semanais, fora spray de unção, fora toda a chance de industrializar de embrutecer a doce loucura da pregação cujo sangue de homens de verdade foi derramado. O zelo da tua casa me devorará! Pense nisto creio que o Espírito Santo lhe encherá de paixão a ponto de sucumbir você a ser devorado de zelo pela casa do nosso Senhor. Amem!





Bruna Martins Cesimbra

Um comentário:

Qual a sua opinião sobre este artigo? Comente a vontade!