3 de mai de 2010

Amor, o verdadeiro avivamento!




1 Coríntios 13


13:1 AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. 13:2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 13:3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. 13:4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. 13:5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 13:6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; 13:7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 13:8 O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 13:9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; 13:10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. 13:11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. 13:12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. 13:13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.


O Amor é o Dom Supremo... Deus é Amor, e nós que fomos criados a sua imagem e semelhança temos sido Amor? A Igreja tem amado o próximo e exercido este Dom Supremo?


Pois se fala constantemente em Avivamento, mas não consigo entender que avivamento é esse que se prega. Pois o simples fato de se estar entre quatro paredes de um templo reunidos e de certa forma “buscando a presença de Deus” não caracteriza um avivamento. Afinal bem sabemos que o Dom Supremo é o Amor, sendo assim o verdadeiro avivamento tem que ser regado a Amor. Estar na Igreja congregando é apenas uma forma de se alimentar espiritualmente, ou dependendo, ser explorado.


Jesus em seu ministério viveu arduamente esse Dom, bem como seus discípulos e apóstolos. Se a Igreja quer viver avivada tem que seguir os passos do mestre, somente aquilo que Cristo nos ensinou é que pode trazer Avivamento.


Creio que a Igreja está doente e ferida. Existe uma disputa louca por poder e fama dentro de nossas igrejas, fora as brigas internas. Mesmo assim querem dizer que a igreja é percussora do Avivamento.


Iniciei esta mensagem com o texto de 1º Co 13, falando sobre Amor, e o que eu quero que você entenda é que o Amor é que Aviva a Igreja, somente a essência do Amor pode curar as feridas e as doenças evangélicas.


Quando a Igreja sair do pedestal, quando a s portas dos templos forem derrubadas e Igreja ir de encontro a quem necessita, não com o intuito de grandeza, mas com intuito de Salvação, ai sim poderá se dizer que há o Avivamento.


Se a sua Igreja não é assim, nada impede de você ser assim... A final a Igreja não é composta por templos e hierarquias, a Igreja de Cristo, a sua noiva, somos nós. Você e eu somos responsáveis por espalhar o Avivamento, e quem sabe essa Igreja Templaria se cure e se renove verdadeiramente.

Mateus Goethel Cesimbra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual a sua opinião sobre este artigo? Comente a vontade!