1 de ago de 2010

Multiplicando Esperança



Quando lemos o texto de João 6:1-16, podemos contemplar um dos grandes milagres de Jesus. Trata-se da multiplicação de cinco pães e dois peixinhos:

“Depois disto partiu Jesus para o outro lado do mar da Galiléia, que é o de Tiberíades.
E grande multidão o seguia, porque via os sinais que operava sobre os enfermos.
E Jesus subiu ao monte, e assentou-se ali com os seus discípulos.
E a páscoa, a festa dos judeus, estava próxima.
Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pão, para estes comerem?
Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que havia de fazer.
Filipe respondeu-lhe: Duzentos dinheiros de pão não lhes bastarão, para que cada um deles tome um pouco.
E um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe:
Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas que é isto para tantos?
E disse Jesus: Mandai assentar os homens. E havia muita relva naquele lugar. Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil.
E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos, e os discípulos pelos que estavam assentados; e igualmente também dos peixes, quanto eles queriam.
E, quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca.
Recolheram-nos, pois, e encheram doze alcofas de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobejaram aos que haviam comido.
Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito, diziam: Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo.
Sabendo, pois, Jesus que haviam de vir arrebatá-lo, para o fazerem rei, tornou a retirar-se, ele só, para o monte.
E, quando veio a tarde, os seus discípulos desceram para o mar”.

Podemos contemplar aqui o quanto Jesus estava compadecido com aqueles que buscavam nele o alimento. Não os pães e peixes, mas a palavra de vida que só Ele possuí.

Jesus sempre aproveita as situações mais adversas para ensinar o amor e a compaixão. Ele sabia de tudo, conhecia tudo o que estava por acontecer, mas mesmo assim colocou os seus discípulos em prova. Um exercício de Evangelho... “Onde compraremos pão para estes comerem?” perguntou Jesus a seu discípulo Filipe.

O Senhor já sabia que ali estava um rapaz com cinco pães e dois peixinhos. Ele já sabia o que devia fazer, e o fez! Mas a lição que podemos retirar não é somente a multiplicação do alimento, mas sim o saciar de esperança que Cristo distribuiu.

O povo que o seguia não estava em busca de pão ou peixe, estava em busca do Pão da Vida. Eram homens e mulheres que não estavam nem aí com o que iriam se alimentar, pois o que eles queriam era estar com o Messias.

Hoje poucos procuram Cristo somente por Ele ser o Messias. Procuram Deus por causa daquilo que Ele poderá oferecer.

Na verdade Jesus não multiplicou o pão e o peixe, mas sim a esperança e a fé daquelas pessoas que buscavam simplesmente estar com Ele.

Se invés de buscarmos o pão e o peixe para o nosso próprio bem, buscarmos o Messias, Ele não somente irá estar conosco, como irá multiplicar a nossa fé, o amor, a graça, a misericórdia... Se vivermos pela Graça Dele, e assim como os discípulos que estavam com Ele neste episódio, buscarmos colocar em prática as suas palavras, a sua bondade e o seu amor, não precisaremos correr atrás do pão e do peixe, porque o próprio Messias proverá o amanhã.

Sejamos nós proclamadores do Evangelho, e coloquemos em prática o milagre da multiplicação de Esperança para aqueles que estão desesperançosos!



No amor Daquele que alimentas as minhas esperanças,
Mateus.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual a sua opinião sobre este artigo? Comente a vontade!