9 de jan de 2015

PÃO & PÃO…


O homem não vive só de pão, embora sem pão seu corpo morra e sua alma perca o prazer.
O homem vive também de pão...
Pão, todavia, sem alma que o aprecie, é apenas remédio para o corpo...
O livro do Eclesiastes pergunta:
“Separado de Deus [...] quem pode comer, beber ou se alegrar?”
Ora, com isto se está afirmando que Deus é que dá prazer e sentido ao ato de sobreviver ou de viver; pois, sem Deus na vida, tudo é apenas “remédio” para a sobrevivência...
O homem de fato come sentido, bebe significados, beija representações o tempo todo...
Pão faz bem, mas quem não gosta de uma gordurinha na carne assada, mesmo que o colesterol suba?...
Quando a gente vê uma pessoa “lúcida” fazendo algo que lhe seja prejudicial à saúde, imediatamente a gente pergunta/afirmando: “Mas como? Essa pessoa sabe que isso faz mal!...”
A pessoa que “sabe” [...] e decide que mesmo sabendo da existência de algum elemento que lhe faça mal no que coma [...], comerá assim mesmo [...], assim faz em razão de um prazer do qual sua alma também se alimenta [...]; o que leva a pessoa a ingerir ou provar algo [...] mesmo que isto lhe tire estatisticamente alguns anos de vida; posto que assim proceda em razão de uma necessidade psicológica de alimentar-se não apenas de comida, mas de prazer e de compensações...
Quando Jesus afirmou que “nem só de pão vive o homem, mas [também,] de toda Palavra que sai da boca de Deus”, Ele nos dizia a mesma coisa, porém com uma diferença: Ele reconhecia a necessidade humana de transcender ao elemento imediato de necessidade/gratificação [o pão], mas afirmava que somente a transcendência que se harmonizasse com a Palavra que sai da boca de Deus é que realiza a necessidade de gratificação do homem sem lhe fazer mal.
Ora, eu vejo o quanto como da Palavra que sai da boca de Deus, não apenas por aquilo que nela eu “aprovo” como verdade/prática da minha vida; mas, além disso, vejo se creio mesmo na Palavra ou não também naquilo que eu sei que não sai da boca de Deus, embora para mim seja algo que saindo ou não da boca de Deus eu não consiga deixar fora da minha vida e consumo.
Os prazeres que fazem bem se diferenciam dos que fazem mal apenas por isto: os que fazem bem saem da boca de Deus e os que fazem mal apenas entram pela boca do homem por terem se instalado antes em seu próprio coração como necessidade/ilusiva...
Por isto se diz:
“Alegra-te na tua juventude [...] e anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos... Sabe, porém, que de tudo prestarás conta!”
Assim, há o estimulo para que eu não viva só de pão, ao mesmo tempo em que se diz que aquilo que não seja pão deve alimentar de modo sadio as demais dimensões do ser como se pão fosse...
Sim! Para Jesus tudo é muito simples!
Pense nisso!...

Nele,

Caio
13 de fevereiro de 2010
Lago Norte
Brasília
DF


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual a sua opinião sobre este artigo? Comente a vontade!