14 de jul de 2016

Mau humor, quem não tem?



O bom humor é um adorno para qualquer pessoa. O individuo quando está de bem com a vida fica mais bonito, com o semblante leve e até rejuvenescido. Mas, na vida real, ninguém é bem humorado o tempo inteiro. Ninguém está de bem com a vida 24 horas por dia, 365 dias por ano. A questão é: o que fazemos com o nosso mau humor?

Pela lógica, o mau humor é oposto do bom humor. Se você está alegre e esbanjando boas energias, seu humor vai bem. Se você está a ponto de explodir de raiva, amargurado, sem paciência, seu humor vai mau. Os fatores que nos levam de um extremo ao outro são muitos, pois todos nós temos motivos para estar de bem ou de mau com a vida em determinados dias e circunstâncias. O grande problema é a nossa extrema chatice quando a nuvem negra resolve se instalar em cima de nossas cabeças.

Não creio que seja humanamente possível evitar o mau humor, ninguém é imune a perrengues, por mais felizes e perfeitas sejam as suas vidas. No entanto, a maior parte das pessoas do nosso convívio não são detentoras da culpa das variações de humor que nos acarretam. Se o nosso dia está péssimo, a culpa não é da moça da padaria ou do rapaz que vende frutas na rua. A menina do telemarketing que liga para oferecer TV por assinatura está apenas fazendo o trabalho dela, poderia ser você no lugar dela. Já pensou que o  mau humor pode ser uma verdadeira praga a se expandir se dermos liberdade para isso? A amargura é uma erva daninha, se espalha rapidamente e atinge quem menos esperamos.

Não podemos evitar a tempestade, mas podemos prevenir para que os seus estragos não sejam tão avassaladores. Acredito que viver a vida da melhor forma possível, ou seja, aproveitando o que há de bom, e não me refiro as coisas que envolvem dinheiro, mas aquelas que estão rodeadas de sorrisos, risadas, histórias e brincadeiras, podemos criar uma espécie de escudo contra o mau humor. Não é que ele deixará de nos atingir, porém, sua força será bem menor e logo passará. 

Mau humor, quem não tem? O fato é que está em nossas mãos o destino que daremos a ele. Dar ou não muita importância é uma escolha. Eu, se fosse você, escolheria o lado bom da força (risos). Como dizem por aí, a vida é muito curta, então cultive o bem e o que é bom. Deixe o que é mal e te faz mau pra lá de Bagdá!

Apesar de tudo, sempre teremos um bom motivo para não desistir de ser feliz...


Mateus.
11/07/16



****

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual a sua opinião sobre este artigo? Comente a vontade!