25 de nov de 2016

E a felicidade, hein?




"Felicidade foi se embora
E a saudade no meu peito ainda mora
E é por isso que eu gosto lá de fora
Porque sei que a falsidade não vigora..."


Para alguns ela nem se quer existe, portanto, ao contrário do que dizia Lupicínio, nem mesmo embora ela poderia ir. Para outros ela existe sim, mas longe, distante da dura realidade que seus olhos vêem. E há aqueles que são convictamente felizes, cuja a vida é boa mesmo sem ser. Afinal de contas, e a felicidade, hein?

Não acho a felicidade algo tão distante de ser alcançada, porém, como quase tudo na vida, tem seu preço. Sim! Ela tem um valor a ser pago, e não me refiro a dinheiro, até porque sou adepto de clichês, e para mim dinheiro não compra a felicidade, mas o nosso tempo sim. Quanto você está disposto a pagar por ela?

Felicidade é coisa difícil, é romântica, gosta de atenção e é bastante sensível. Ela é carente. Ela não se deleita em braços qualquer. Ela quer ser apreciada sem moderações ou regras. Vai encarar? 

Pois é, talvez por isso, muitos a afastem de si. Felicidade é uma relação de muito compromisso, compromisso consigo. Para tê-la em seus braços, é preciso sim deixar muitas coisas de lado. Quem é feliz de verdade longe de quem ama? Ou então, que felicidade há em não saber como é a vida longe dos compromissos sociais e profissionais?

Esqueci de mencionar, ela é ciumenta. Não aceita ser dividida o tempo inteiro. Não suporta sua ausência. Por muito menos ela faz as malas e vai embora, como disse Lupicínio.

Não é difícil, mas também não é fácil. Nem tão longe, nem tão perto. Acho mesmo que nos falta coragem para assumir a relação com ela. É preciso declarar abertamente, através de gestos incompreendidos pelos não corajosos, que a felicidade veio para ficar. Coragem, pois ela pode cansar, e se ela cansar de você... nem é bom pensar!

E a felicidade, hein? Ela vai bem!


- Mateus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual a sua opinião sobre este artigo? Comente a vontade!